Entenda o que é Blended Learning e conheça os benefícios

Cada vez mais popular, o Blended Learning tem se mostrado uma ótima alternativa para o ensino na Era Digital. Conheça as vantagens dessa modalidade de ensino!

Entenda o que é Blended Learning e conheça os benefícios

O blended learning ou ensino híbrido é uma modalidade de ensino que integra atividades virtuais (on-line) e presenciais (off-line). Combina os melhores aspectos de cada abordagem para alcançar os melhores resultados no ensino.

Por ser uma metodologia ativa de ensino, o blended learning se apresenta como uma estratégia inovadora e eficiente, proporcionando ao aluno uma experiência integradora entre o mundo real e o digital, aproximando-o da realidade de outros campos de sua vida.

Essa abordagem está em perfeita sintonia com o período em que vivemos, a Era Digital. Por isso, o blended learning merece a atenção dos educadores e gestores educacionais que buscam a evolução e modernização do ensino.

Se você quer entender o que é o blended learning, como ele funciona, conhecer seus diferenciais e vantagens, esse artigo pode ajudar!

Aqui você vai conferir:

Blended Learning: o que é?
Qual é o significado de aprendizagem síncrona e assíncrona?
Qual é a diferença entre Blended Learning e educação a distância (EaD)?
Qual é a diferença entre Blended Learning e a modalidade semipresencial?
Vantagens do Blended Learning
Blended Plataforma: a tecnologia como apoio à metodologia

Blended Learning: o que é?

Blend significa “misturar, combinar”. Ao pé da letra, a tradução de blended learning ficaria “aprendizagem misturada”, ou “combinada”. Mas optou-se por chamá-lo de ensino híbrido, que apresenta o mesmo significado.

O blended learning (ou b-learning) combina as vantagens de cada modalidade de ensino (a distância e presencial) para ter uma metodologia mais eficaz.

Unindo o on-line e o off-line, esse modelo de ensino se aproxima da realidade, na qual o digital e o presencial se misturam em todos os aspectos da vida dos indivíduos: profissional, pessoal e social.

Existem diferentes formas de praticar o blended learning. Pode-se tanto combinar aulas on-lines com aulas presenciais, quanto outras formas de atividades, como materiais de leitura, vídeos informativos, projetos em grupo, plataformas digitais de ensino, e por aí vai. As possibilidades são muitas!

O mais importante é focar na otimização da retenção de conhecimento. Afinal, tratando-se de uma metodologia ativa de ensino, deve provocar o aluno para que busque o conhecimento efetivo, de forma autônoma e interessada.

Outro ponto interessante de se destacar quando o assunto é o blended learning, é que ele se apresenta como um meio termo entre as aulas tradicionalmente presenciais e a educação a distância (EaD).

Assim, pode ser visto como um facilitador dessa transição do tradicional para o moderno. Isso porque o b-learning une as duas práticas pedagógicas e busca aperfeiçoar o desempenho dos estudantes em ambas as modalidades.

É importante ressaltar que o blended learning não se propõe a substituir a sala de aula tradicional, mas a utilizar a tecnologia para transformar, inovar e aperfeiçoar as técnicas de aprendizagem.

Resultado dos avanços tecnológicos, a utilização das tecnologias digitais no ensino é uma realidade que foi acelerada com a pandemia da Covid-19. Algo que já estava para acontecer em um futuro próximo, aconteceu do dia para a noite.

Hoje, poucas instituições de ensino e professores particulares não utilizam nenhuma forma de tecnologia em suas aulas. Quem não migrou de uma vez por todas para o digital, no mínimo adotou o modelo híbrido – o blended learning.

Com o avanço e a necessidade da implementação dessa modalidade de ensino, diversas ferramentas foram desenvolvidas ou adaptadas para viabilizar o trabalho dos educadores.

Plataformas de EaD, ambientes virtuais de aprendizagem, reuniões por videochamada. São inúmeros os exemplos de instrumentos que podem ser utilizados para que os alunos tenham contato com a matéria em casa e discutam os conteúdos presencialmente.

Vale dizer, também, que o blended learning abre um espaço dinâmico para o pensamento crítico. Os estudantes têm a oportunidade de compreender os assuntos de maneira mais aprofundada e, ainda, levar questões e curiosidades para os encontros presenciais.

Outro ponto a ser considerado é que o sistema de ensino híbrido pode ser estruturado com práticas síncronas ou assíncronas. Quer dizer, podem existir situações em que o professor e os alunos trabalham em um horário predefinido (todos juntos) ou em períodos flexíveis (cada um no seu tempo).

No entanto, o b-learning jamais poderá ser totalmente assíncrono, porque exige uma disponibilidade individualizada para os encontros presenciais.

Entenda melhor o que são atividades síncronas e assíncronas e como se dá o processo de ensino-aprendizagem em ambos os formatos.

Qual é o significado de aprendizagem síncrona e assíncrona?

As atividades síncronas necessitam de agendamento, porque são transmitidas em tempo real para um ou mais estudantes. É o caso das aulas ao vivo, tanto presenciais quanto on-lines.

Deste modo, a aprendizagem síncrona tem relação com todo conteúdo que depende da presença física do aluno e do professor em um mesmo ambiente ou da sincronia nos acessos.

Esse formato tem como principal vantagem a participação instantânea de todos os envolvidos, havendo interação em tempo real.

Os alunos podem interagir com o professor pessoalmente ou enviar perguntas e comentários por meio de chats, no caso de aulas on-lines.

Assim, eles participam dos encontros ativamente. Esse debate sobre o tema promove a troca de conhecimentos e experiências, o que enriquece o aprendizado.

Foto de uma pessoa conversando com outra por vídeo representando o Blended Learning
O Blended Learning exige pelo menos uma atividade síncrona - o encontro presencia ou on-line.

Para incentivar ainda mais a participação dos alunos nessas atividades, os professores podem adotar metodologias diferenciadas como revisões ao vivo, entrevistas, competições, comentários de especialistas ou diversos professores no mesmo encontro.

Já as atividades assíncronas, são as aulas gravadas ou qualquer material que o aluno possa acessar no tempo dele, no horário de sua preferência. Em razão da sua flexibilidade, essas atividades acabam sendo as mais comuns na educação a distância.

Por não exigir essa simultaneidade entre os acessos, além da flexibilidade que o aluno dispõe para estudar quando e onde quiser, esse modelo confere mais tempo para que os estudantes analisem o conteúdo recebido.

Agora que você já sabe o que é blended learning e as atividades síncronas e assíncronas, entenda a diferença entre o b-learning e a educação a distância e semipresencial.

Qual é a diferença entre Blended Learning e educação a distância (EaD)?

A principal diferença entre o blended learning e o EaD está no contexto, frequência e objetivo dos encontros.

Embora no b-learning existam encontros e atividades on-lines, o uso dessas ferramentas no processo de aprendizagem não é o que define essa metodologia. Há exigência de encontros presenciais e estes são destinados à discussão do tema e esclarecimento de dúvidas pelos professores.

Como você viu nos tópicos anteriores, o blended learning é uma mistura do presencial com o EaD, unindo elementos dessas duas modalidades de ensino.

Já nos cursos EaD, todo o processo de aprendizagem é realizado em ambiente virtual. Eventualmente ocorrem encontros presenciais para a aplicação das avaliações finais, mas não é a regra.

Deu para entender a diferença entre o blended learning e EaD?

Em resumo, o b-learning engloba o EaD e mistura com elementos do ensino tradicional, contando com encontros presenciais, enquanto o EaD é puramente virtual, tudo acontece no on-line.

Descubra agora a diferença entre blended learning e a modalidade semipresencial.

Qual é a diferença entre Blended Learning e a modalidade semipresencial?

Ao contrário do que ocorre quando se busca diferenciar o blended learning do EaD, aqui essa diferenciação não se demonstra tão simples.

Tanto que é comum encontrar as duas nomenclaturas como sinônimas. Mas existe sim uma sutil diferenciação que pode ser adotada neste contexto.

O termo “semipresencial” tem uma relação mais próxima com o Ensino Superior, enquanto o termo “blended learning” é usado para se referir ao ensino híbrido (on-line e off-line) em diferentes contextos, como no ensino de idiomas, na educação corporativa e escolar.

Ou seja, o blended learning está presente em mais contextos educacionais e por isso passa por mais mudanças, conforme a demanda dos alunos.

Conheça a seguir as vantagens do b-learning.

Vantagens do Blended Learning

Foto de uma menina aproveitando as vantagens do Blended Learning: estudando em casa.
Conheça agora as vantagens do Blended Learning!

Existem vantagens e desafios em todas as modalidades de ensino.

Na modalidade EaD, por exemplo, os alunos precisam apresentar algumas características importantes, como disposição, autonomia, organização e, principalmente, disciplina para manter o foco no curso e não desistir.

No ensino presencial não é diferente. Dificuldade de deslocamento, falta de disponibilidade de tempo e recursos financeiros são alguns dos obstáculos enfrentados por esse modelo.

O blended learning une as vantagens dessas duas modalidades de ensino, superando os obstáculos de cada uma delas.

Assim, o aluno tem a praticidade e a facilidade de acesso aos conteúdos do EaD, e a possibilidade de trocar experiências e ter contato mais próximo com os professores no ensino presencial.

Por isso, o b-learning tem conquistado cada vez mais adeptos e entusiastas pelo mundo todo.

Veja agora alguns dos benefícios que o blended learning oferece.

1. Flexibilidade, mas não só de horários

Um dos pontos mais exaltados no EaD foi absorvido pelo blended learning.

Nessa modalidade, o aluno pode consultar os materiais, atividades e aulas gravadas quando e onde quiser. Cada aluno segue seu próprio ritmo. Ele não precisa acompanhar uma grade de horários.

Quanto aos encontros presenciais, na maioria das vezes, podem ser negociados de maneira a atender as urgências e necessidades de cada aluno.

Mas a flexibilidade aqui não é apenas em relação ao horário. É também quanto ao processo de aprendizagem, como você verá nos próximos tópicos.

2. Mais autonomia e aprendizado

Por se tratar de uma metodologia ativa de ensino, o ritmo de aprendizagem pode ser definido pelos próprios alunos.

Eles possuem autonomia para gerenciar seus aprendizados e compromissos. Com a autonomia, vem a responsabilidade: eles precisam de organização para alcançar as metas e cumprir os prazos.

Essa autonomia também permite que os alunos explorem ferramentas diferentes, escolhendo as que melhor se adaptam ao modo que aprendem. Logo, o aprendizado de cada um é moldado individualmente, sendo muito mais eficiente e profundo.

3. Processo de aprendizagem otimizado

Ao exigir uma participação ativa do aluno, o blended learning otimiza o processo de aprendizagem e permite que o aluno alcance melhores resultados ao contar com recursos mais diversificados e uma colaboração muito mais intensa entre os próprios alunos.

Ao seguir o próprio ritmo, o aluno não precisa esperar que os colegas o alcancem, nem precisa correr para alcançá-los.

Ele pode, por conta própria, identificar suas lacunas no conhecimento e preenchê-las, tanto de maneira autônoma, quanto com ajuda do professor, nos encontros presenciais.

4. O aluno aprende a perguntar e resolver dúvidas

Como no b-learning sempre há um encontro presencial marcado para troca de informações, resolução de problemas e esclarecimento de dúvidas, o aluno aprende a perguntar.

Ao estudar o assunto, o aluno busca o conhecimento e encontra alguns obstáculos. O que ele consegue resolver por conta própria, ele resolve. Mas há situações nas quais ele precisa da ajuda do professor.

Nesses momentos, o aluno se vê tendo que formular sua dúvida para poder indicar ao professor qual ponto não foi compreendido. Assim, ele desenvolve sua capacidade de fazer perguntas e resolver dúvidas.

Você pode achar que não se trata de uma grande vantagem. Mas acredite: tem muita gente que não consegue formular perguntas claras, e por isso, acaba preferindo se calar e permanecer na ignorância.

5. Promove interação entre professor-aluno e aluno-aluno

O blended learning oferece a possibilidade de interação presencial e remota entre os alunos e professores.

Dessa forma, a relação entre professores e alunos e entre os próprios estudantes é enriquecida.

A humanização dos relacionamentos e a possibilidade de desenvolvimento de dinâmicas e atividades coletivas, além de uma melhor capacidade de avaliação dos alunos, é sem dúvida uma das principais vantagens que o b-learning herdou do ensino presencial.

6. Reduz os custos (financeiros e de energia)

Por fim, a modalidade de ensino híbrido também possibilita a redução dos custos. Afinal, a metodologia demanda menos espaços físicos e professores em tempo integral nas salas de aula.

Além disso, reduz os custos para o aluno em relação a transporte, alimentação e outros gastos que decorrem da necessidade de estar presente fisicamente em um local que não seja sua própria residência.

Sem contar na energia que o aluno economiza, podendo estudar a maior parte do tempo no conforto de sua casa.

Blended Plataforma: a tecnologia como apoio à metodologia

Tal como ocorre na modalidade de ensino EaD, para adotar o blended learning, professores e alunos precisam contar com suporte tecnológico.

Um celular, tablet ou computador com acesso à internet é o básico para a adoção desse modelo.

Mas o professor ainda precisa de outras ferramentas. Ambientes virtuais de aprendizagem e plataformas EaD atendem algumas necessidades, mas não são planejadas especificamente para o b-learning.

Neste contexto, as “Blended Plataformas” se apresentam como uma importante solução para melhorar ainda mais a qualidade do ensino nessa modalidade.

Além de agilizar os processos de ensino-aprendizagem, estreitar relacionamentos e promover a autonomia dos alunos, a tecnologia tem sido responsável por proporcionar um aprendizado mais individualizado e eficaz.

O blended learning utiliza metodologias ativas e a tecnologia para promover um ensino mais eficiente e uma aprendizagem mais profunda e permanente, deixando para trás o ensino puramente mecânico, focado na memorização de termos e datas.

Quer saber mais sobre essa e outras metodologias de ensino? Assine nossa Newsletter e receba os melhores conteúdos do Blog, diretamente no seu e-mail: