Taxonomia de Bloom no ensino de inglês: entenda seu conceito e benefícios

Entenda o que é a taxonomia de Bloom e como sua aplicação pode beneficiar o ensino do inglês.

Taxonomia de Bloom no ensino de inglês: entenda seu conceito e benefícios

A Taxonomia de Bloom, criada pelo psicólogo e pedagogo norte-americano Benjamin Bloom e sua equipe no final da década de 1950, é um modelo educacional amplamente utilizado na área pedagógica para classificar e organizar diferentes níveis de habilidades cognitivas e conhecimentos.

Esse modelo fornece uma estrutura hierárquica para a aprendizagem, dividindo as habilidades em seis níveis distintos.

O ensino de línguas estrangeiras, como o inglês, apresenta um desafio complexo que requer uma abordagem pedagógica abrangente para desenvolver habilidades linguísticas em diversas áreas.

A Taxonomia de Bloom oferece um modelo eficaz para planejar, implementar e avaliar o ensino e aprendizado do inglês, promovendo um processo de aprendizagem significativo e progressivo.

Neste artigo você vai entender o que é a Taxonomia de Bloom e aprender a aplicá-la nas suas aulas de inglês. Vamos lá?

Compreendendo a Taxonomia de Bloom
Aplicando a Taxonomia de Bloom no ensino de inglês
Benefícios do uso da Taxonomia de Bloom no ensino do inglês
Elaborando plano de aula com a Taxonomia de Bloom

Compreendendo a Taxonomia de Bloom

A Taxonomia de Bloom é uma estrutura hierárquica que categoriza as habilidades cognitivas em diferentes níveis de complexidade.

Originalmente desenvolvida para a educação formal em geral, ela visa promover o pensamento crítico e a aprendizagem profunda.

A taxonomia é composta por seis níveis, que vão desde habilidades mais básicas, como memorização e compreensão, até habilidades mais avançadas, como análise, síntese e avaliação.

Os níveis são organizados da seguinte forma:

  1. Conhecimento: envolve a memorização e recuperação de informações.
  2. Compreensão: refere-se à compreensão e interpretação do significado das informações.
  3. Aplicação: envolve a aplicação de conhecimentos em situações práticas.
  4. Análise: requer a análise de informações e a identificação de padrões e relações.
  5. Síntese: envolve a criação de novas ideias ou a combinação de informações para formar um todo coerente.
  6. Avaliação: refere-se à avaliação crítica de informações com base em critérios estabelecidos.

A Taxonomia de Bloom é de extrema importância no ensino, pois oferece essa estrutura organizada e hierárquica para classificar as habilidades cognitivas e conhecimentos.

Ela permite um planejamento eficaz do ensino, proporcionando uma progressão gradual e abrangente, engajando os alunos, promovendo o aprendizado significativo, desenvolvendo habilidades múltiplas e preparando-os para situações reais.

Ao aplicar a Taxonomia de Bloom, os educadores podem otimizar o ensino do inglês e outras disciplinas, garantindo um aprendizado estruturado e progressivo.

Se você tem interesse em tornar suas aulas de inglês ainda mais eficientes, promovendo um aprendizado significativo para seus alunos, continue lendo esse artigo para aprender a aplicar a Taxonomia de Bloom no ensino de inglês.

Aplicando a Taxonomia de Bloom no ensino de inglês

Ao aplicar a Taxonomia de Bloom no ensino do inglês, os educadores podem planejar atividades e avaliações que abrangem uma variedade de habilidades linguísticas. Vejamos como cada nível pode ser incorporado:

  1. Conhecimento: Nesse nível, os alunos são expostos a palavras, frases, vocabulário e estruturas gramaticais básicas da língua inglesa. Eles podem realizar atividades de memorização, como listas de vocabulário e exercícios de preenchimento de lacunas para familiarizar-se com o conteúdo linguístico.
  2. Compreensão: Os alunos são incentivados a compreender o significado do que estão lendo, ouvindo ou falando em inglês. Isso pode ser alcançado por meio de atividades de compreensão de leitura, audição e interpretação de diálogos ou textos autênticos.
  3. Aplicação: Nesse estágio, os estudantes são desafiados a aplicar suas habilidades linguísticas em contextos reais. Eles podem realizar tarefas práticas, como debates, simulações de situações reais e produção de textos escritos ou falados com base em tópicos relevantes.
  4. Análise: Os alunos são incentivados a analisar estruturas linguísticas mais complexas, identificar padrões gramaticais e examinar as relações entre diferentes elementos do idioma. Isso pode ser feito por meio de atividades como análise de textos, identificação de erros gramaticais e construção de argumentos em inglês.
  5. Síntese: Nesse estágio, os alunos são desafiados a criar algo novo a partir do conhecimento adquirido. Eles podem realizar tarefas que envolvem a produção de textos originais, apresentações orais elaboradas e discussões de temas complexos em inglês. Isso estimula a criatividade e a expressão pessoal dos alunos.
  6. Avaliação: Por fim, os alunos são incentivados a avaliar criticamente informações em inglês, analisar diferentes pontos de vista e formar opiniões fundamentadas. Isso pode ser alcançado por meio de atividades de debate, ensaios argumentativos e análise crítica de textos autênticos.

Deu para entender como aplicar a Taxonomia na prática? Espero que sim! Agora continue lendo para entender melhor os benefícios dessa metodologia.

Benefícios do uso da Taxonomia de Bloom no ensino do inglês

A aplicação da Taxonomia de Bloom no ensino do inglês oferece diversos benefícios aos alunos:

  1. Progressão gradual: A taxonomia permite que os alunos progridam gradualmente, passando por níveis de complexidade crescente. Isso garante que eles desenvolvam habilidades linguísticas de maneira estruturada e contínua, enfrentando desafios que correspondam ao seu nível de aprendizado.
  2. Engajamento e motivação: Ao oferecer atividades desafiadoras e estimulantes em diferentes níveis, os alunos se sentem mais engajados e motivados em seu processo de aprendizagem. O aumento gradual da complexidade garante que as atividades sejam adequadas para o seu nível de habilidade, despertando interesse e evitando desmotivação.
  3. Aprendizado significativo: A Taxonomia de Bloom promove o aprendizado significativo, pois os alunos são incentivados a aplicar o conhecimento em contextos reais, analisar informações e formar opiniões fundamentadas. Isso leva a uma compreensão mais profunda da língua inglesa e favorece a transferência de conhecimentos para situações do mundo real.
  4. Desenvolvimento de habilidades múltiplas: Ao abranger diferentes níveis cognitivos, a taxonomia promove o desenvolvimento holístico das habilidades linguísticas dos alunos. Eles são expostos a uma variedade de atividades que abrangem a compreensão auditiva, a leitura, a escrita e a expressão oral, o que contribui para um aprendizado mais completo e abrangente.
  5. Preparação para situações reais: A aplicação da Taxonomia de Bloom envolve o envolvimento dos alunos em atividades cada vez mais complexas, que se assemelham a desafios reais. Isso permite que os alunos desenvolvam habilidades que lhes permitam participar de conversas, interagir em ambientes profissionais e acadêmicos, e se expressar com confiança e fluência em situações do cotidiano.

Elaborando plano de aula com a Taxonomia de Bloom

Ao elaborar o plano de aula, o professor precisa ter em mente o nível em que o aluno se encontra para que seja oferecida a atividade que melhor atenda às suas necessidades.

Para chegar à atividade ideal, o professor deve responder às seguintes perguntas:

  1. O quê?
    Qual é o conceito do que será estudado? Qual o vocabulário ou parte gramatical que será abordada? É necessário definir o que o aluno precisa saber para alcançar determinado nível de aprendizagem.
  2. Como?
    Qual é o procedimento ou método que o professor irá utilizar para transmitir o conhecimento?
  3. Para quê?
    Propõe uma finalidade ao conhecimento, ligando-o a situações cotidianas e mostrando em qual contexto o vocabulário ou gramática será utilizado.

Respondendo a essas perguntas, você conseguirá elaborar seu plano de aula com base na Taxonomia de Bloom sem grandes dificuldades.

Conclusão

A Taxonomia de Bloom oferece uma estrutura sólida e abrangente para o ensino do inglês, permitindo que os alunos desenvolvam habilidades linguísticas em diferentes níveis de complexidade, de forma gradativa e eficaz.

Ao aplicar a taxonomia, os educadores podem planejar atividades e avaliações que abrangem uma variedade de habilidades, promovendo um aprendizado significativo e progressivo.

A taxonomia proporciona uma progressão gradual, engajamento e motivação, aprendizado significativo, desenvolvimento de habilidades múltiplas e preparação para situações reais.

Ao aplicar a Taxonomia de Bloom em suas aulas, os professores podem proporcionar uma experiência de ensino do inglês mais enriquecedora e eficiente para seus alunos.

Fique por dentro das novidades!

Assine nossa newsletter e receba novos conteúdos do Blog no seu e-mail.