A importância da participação dos pais na educação: a integração família e escola

Como os pais podem (e devem) participar da vida escolar dos filhos para um desenvolvimento saudável e produtivo.

A importância da participação dos pais na educação: a integração família e escola

A participação dos pais na educação é muito importante para o desenvolvimento dos alunos. A união e sinergia entre escola e família faz toda a diferença no desempenho educacional e social das crianças.

Compreender os interesses individuais de cada criança, seus sonhos e planos para o futuro, é uma tarefa que necessita da ajuda e participação dos pais e que pode fazer toda a diferença na formação do aluno.

É o caso de, por exemplo, iniciar o aprendizado de uma segunda língua, cuja necessidade pode ser levada pelos pais para a escola, a fim de que o estímulo aconteça lá também.

Neste artigo você vai descobrir a importância da participação dos pais na educação dos filhos, como essa participação é encarada pelos pais e como ela pode acontecer, com o apoio da tecnologia.

Boa leitura!

Participação dos pais na educação dos filhos: uma necessidade
A importância da participação dos pais na educação dos filhos
Pais e escola: a melhor equipe
Participação dos pais na educação: como a tecnologia pode ajudar

Participação dos pais na educação dos filhos: uma necessidade

Vida corrida, pais que trabalham fora o dia inteiro, a opinião pública cobrando mais dedicação, e o cenário de ansiedade se instala na família.

De maneira geral, os pais sabem que é importante se interessarem pela vida escolar de seus filhos (e demonstrarem isso), mas a falta de tempo, e até de uma adequada orientação, os distancia da necessária cooperação.

Não basta dizer a um pai que seu filho não está aprendendo na escola. Ele precisa ser orientado sobre a maneira como pode contribuir. Funções, direitos e deveres de pais e escola precisam ser definidos com clareza.

Escola e família são, deste modo, e nas palavras da Psicopedagoga Fernanda Sobreira, duas instituições que se completam, com papéis diferentes, mas com muitas afinidades.

Reconhecer essa verdade, e também a de que o principal é a qualidade do tempo em que pais e filhos convivem, mais do que a quantidade, vai permitir a descoberta de momentos, na rotina diária, em que os pais poderão tomar conhecimento sobre as atividades na escola e, assim, poderão contribuir.

A importância da participação dos pais na educação dos filhos

É frequente que os pais canalizem a necessidade de aproximação, principalmente através da cobrança, desconhecendo que, no check list das formas de participação da vida escolar dos filhos, a cobrança deveria ser a última opção.

Outros pais compreendem estar presentes na vida escolar dos filhos apenas sob o aspecto físico: frequentar a escola, participar de reuniões e eventos seria o cumprimento do seu papel.

Já outra parcela de pais entende que, para estar acompanhando seus filhos na vida escolar, devem participar ativamente dos conteúdos das disciplinas, auxiliando nas tarefas de casa, sugerindo filmes, músicas, leituras etc.

Se, por um lado, essa postura pode ajudar, por outro, se não forem respeitados alguns limites, isto tende a prejudicar o desenvolvimento da autonomia e responsabilidade na criança.

Mas como os pais podem cumprir com tão importante responsabilidade se não têm tempo para participarem fisicamente dos eventos escolares e, por outro lado, muitas vezes não têm a formação necessária para auxiliarem com os conteúdos?

Especialistas dizem que não há um único caminho a ser percorrido. Para que seja benéfico para a criança ou jovem, os pais devem se envolver ativamente nas suas atividades, valorizando seus trabalhos, motivando, ensinando, discutindo temas, questionando, prestigiando momentos, dando apoio das mais diversas maneiras.

Pais participativos geram melhores resultados do que pais ausentes. Por isso, a participação dos pais na educação infantil é ainda mais fundamental.

Quando a criança percebe esse envolvimento, esse franco interesse pela sua vida escolar, alguns mecanismos são disparados: sente-se amada, valorizada e segura, e isso lhe permite um melhor desenvolvimento, tanto no aspecto cognitivo, quanto social. Ela passa a se dedicar mais.

A expansão de suas relações sociais no ambiente escolar (crianças e adultos não pertencentes à sua família), ocorre de forma mais harmoniosa e fluída quanto mais os pais estiverem próximos dessa realidade, permitindo-lhe fazer mais amigos e aproveitando a oportunidade de usufruir do grande laboratório de convivência que representa a escola.

Pais e escola: a melhor equipe

É fundamental que seja compreendida a forte ligação entre escola e família. Juntas constituem uma comunidade de aprendizagem. Levar esse ideal à prática, visando o pleno desenvolvimento da aprendizagem e da sociabilidade dos alunos, exige a compreensão das respectivas responsabilidades e a dedicação dos envolvidos.

Para a grande maioria dos professores, os problemas de aprendizagem estão relacionados com a falta de acompanhamento da família.

Na prática, observa-se que pais interessados na vida escolar dos seus filhos, se aproximam dos professores, percebem as dificuldades e, a partir dessa aproximação, cria-se uma parceria de colaboração que resulta em estímulos em casa voltados para melhorar o desempenho do filho/aluno.

Assim mesmo, quando há uma interação ativa e frequente, entre pais e escola, torna-se mais eficaz a resolução de problemas, conflitos e dificuldades, propiciando uma melhora nos resultados da educação.

Para o especialista Vitor Paro, professor da Faculdade de Educação da USP, a escola deve zelar para acolher bem os pais, preocupar-se para que a sua experiência dentro da escola seja prazerosa. Sem esse cuidado, os pais são “expulsos” da mesma e, sem a ação dos pais, não há educação de verdade.

A escritora e Doutora em Educação Andrea Ramal afirma, por sua vez, que “família e escola precisam atuar em conjunto num só objetivo: formar uma pessoa completa, desenvolvendo todas as suas capacidades”.

Afortunadamente, é crescente o movimento, por parte da escola, voltado para incluir os pais. Esta participação ativa deles no processo educativo, baseada no propósito comum entre as partes, prepara as crianças para os desafios da vida.

Pois nem a escola sozinha, nem tampouco os pais sozinhos, separadamente, conseguem oferecer uma educação integral para crianças e adolescentes.

Participação dos pais na educação: como a tecnologia pode ajudar

Algumas escolas já utilizam a tecnologia para intensificar o relacionamento com os pais.

Aplicativos escolares, por exemplo, permitem uma comunicação contínua, nas duas direções: dos pais para a escola e vice-versa, possibilitando um acompanhamento detalhado dos conteúdos e a busca por soluções, quando identificadas dificuldades.

No entanto, ao aliar a tecnologia à participação dos pais na educação dos filhos, requer atenção quanto à Educação Digital, atendendo-se às prescrições do Marco Civil da Internet. Somente assim, essa interação entre pais e professores se dará de maneira saudável e segura.

Continue lendo nossos artigos e descubra quais são as alternativas para este e outros desafios da educação na Era Digital. Aproveite para se inscrever na nossa Newsletter e receber mais conteúdos como esse no seu e-mail!