O papel do professor na atualidade: como agir diante das novas tecnologias educacionais

A educação na Era Digital requer adaptação por parte dos professores. Entenda por que o papel do professor na atualidade é mais complexo e como ele deve agir diante das novas tecnologias educacionais.

O papel do professor na atualidade: como agir diante das novas tecnologias educacionais

Até poucos anos atrás, levantar a questão sobre o papel do professor, poderia ser considerado um tema irrelevante, uma discussão vazia, inútil, de tão óbvia a resposta. Mais do que isso, poderia até soar como uma falta de respeito.

Seu papel dentro da escola era ser transmissor de conhecimento, responsável por tudo que acontecia e encarregado de observar e fazer serem observados rígidos padrões.

Mas diante da nova dinâmica social decorrente da Era digital, todo o sistema educacional, assim como o papel do professor na atualidade, precisam urgentemente ser revisitados.

No passado, o papel do professor era fazer o aluno assimilar e memorizar o conteúdo passado, e então, avaliá-lo.

Ele era visto como uma figura de poder e autoridade, assim como a instituição escolar em si. Respeito e temor andavam de mãos dadas no coração dos alunos.

A cobrança dos pais e da sociedade, quanto ao bom rendimento e comportamento em sala de aula, era vista como necessário, natural, positiva e único caminho para a formação profissional e a vida em sociedade.

A relação entre alunos e professores, bem como escola e sociedade, foi fortemente afetada com a evolução tecnológica que testemunhamos.

O reconhecimento de que os estudantes não estão conectados, mas são conectados 24 horas por dia, tendo acesso a todo tipo de informação e dados, exige uma radical mudança de paradigma, redefinindo o papel do professor, como um orientador no mar de informações, um estimulador do pensamento crítico, norteador e inspirador.

Neste artigo você vai entender do que se tratam essas mudanças e refletir sobre o papel do professor na atualidade, diante das novas tecnologias educacionais e dos novos comportamentos  sociais.

Era de mudanças ou mudança de era?
O papel do professor na atualidade

Era de mudanças ou mudança de era?

Sabemos que indivíduos e organizações mais bem-sucedidos ao longo da história são aqueles que mais rapidamente se adaptaram às mudanças.

A humanidade, que já foi capaz de se adaptar às grandes revoluções que marcaram Eras, a agrícola e a industrial, vive a presente Era digital. Vemos se desenrolar um verdadeiro turbilhão, onde limites se dissipam, conceitos mudam, realidades aparecem e desaparecem velozmente.

A tecnologia digital faz parte da vida de todos e a velocidade com que ocorrem mudanças nos obriga a exercitar nossa flexibilidade e a nos adaptarmos com rapidez.

Como em qualquer outra revolução tecnológica, as relações humanas são impactadas pelos novos processos, e, por consequência, a relação professor-aluno, também fica banhada por esta chuva de mudanças.

As importantes transformações na sociedade, e que afetam a vida das crianças e jovens, precisam ser compreendidas e contempladas na nova organização do processo ensino-aprendizagem.

A velocidade com que as descobertas tecnológicas acontecem está adquirindo um padrão exponencial. Isso nos faz compreender que a necessidade de mudança, de reconhecer que novas formas de organização surgem e continuarão a surgir, deve ser imediata, urgente.

Muito mais urgente do que nossa tendência ao apego aos costumes e ao conservadorismo quer aceitar.

Segundo o estudo "Projetando 2030: uma visão dividida do futuro", encomendado pela Dell Technologies ao Institute For The Future (IFTF), 85% das profissões que existirão em 2030 ainda não foram criadas.

Como conduzir o processo educativo diante dessa perspectiva?

Qual é o papel do professor no processo de ensino-aprendizagem neste cenário indefinido?

É o que vamos discutir a seguir.

O papel do professor na atualidade

Uma tendência frequentemente identificada, quando são abordados os temas relacionados à tecnologia na educação, é a crença de que o fornecimento de sistemas e equipamentos são suficientes para a modernização do ensino.

Mas esse pensamento está longe de ser verdade. Obviamente, a estrutura é necessária. Mas isoladamente, ela é insuficiente e pode até criar mais problemas do que soluções.

Se os professores que forem utilizar esses equipamentos não estiverem preparados, receberem os treinamentos adequados e forem instruídos quanto ao uso dos mesmos, o tiro pode sair pela culatra.

A educação digital é importante não só para os alunos, mas também para os professores, que devem ter a oportunidade de aprender a manusear as novas ferramentas tecnológicas.

Ou será que a mera instalação de laboratórios de informática, o fornecimento tablets às crianças e acesso veloz à internet bastaria como garantia para um processo positivo de ensino-aprendizagem na atualidade?

A delicadeza dessa transição nem sempre é devidamente avaliada e, portanto, são inúmeros os casos de insucesso, em tentativas de inclusão digital, sem o necessário preparo do professor  para o uso correto da tecnologia.

O papel do professor passou a ser muito complexo do que era no passado.

Com a nova dinâmica social, o acesso ilimitado à informação transformou o modo de ensinar. Por isso é preciso rever qual é o papel do professor no processo ensino-aprendizagem.

Além de ensinar aos alunos as matérias escolares, a estes cabe também a instrução quanto a formação de pensamento crítico por parte dos alunos, para que eles aproveitem da melhor maneira possível o mar de informações no qual estão nadando de braçadas.

O conhecimento tornou-se universal, acessível em poucos cliques e hoje, em uma mesma sala de aula, é possível vislumbrar alunos com diferentes níveis de conhecimento. O professor deixou de ser o único detentor do conhecimento.

Por isso, cabe a ele estimular a curiosidade dos alunos para que busquem informações úteis e as transformem em conhecimento, além de servir de mediador desses conteúdos, a fim de garantir que a instrução ocorra adequadamente.

Ao professor cabe também buscar a própria instrução e atualização quanto às novas metodologias de ensino que surgem como fruto do avanço tecnológico.

O papel do professor diante das novas tecnologias educacionais, é ter a mente aberta e abraçar os avanços tecnológicos, utilizando-os em proveito próprio e em benefício de seus alunos.

O pensamento linear e repetitivo a que estamos habituados deve ser substituído por outro modo flexível, conectado, multidisciplinar e criativo.

Se você é professor e não sabe por onde começar, experimente conhecer metodologias de ensino que sejam adequadas aos alunos da Era Digital.

Como você viu nesse artigo, o papel do professor na atualidade é ser o promotor de reflexões e debates, e incentivador da busca pelo conhecimento. Entender esse novo papel e conhecer as alternativas é fundamental para a evolução da educação.

Inscreva-se abaixo na nossa lista de e-mails para ficar por dentro das novidades da Flexge!