Métodos para ensinar inglês que você precisa conhecer

Conheça 4 métodos convencionais e 4 alternativos para o ensino da língua inglesa que você pode adotar com seus alunos.

Métodos para ensinar inglês que você precisa conhecer

Ao pesquisar por métodos de ensino de inglês, o professor se depara com inúmeras possibilidades e isso pode aumentar suas dúvidas quanto à melhor forma de ensinar o idioma.

Por existirem vários métodos e abordagens para o ensino da língua inglesa, a escolha de uma metodologia pode ser uma decisão difícil.

O primeiro passo para definir um método de ensino de inglês é conhecer algumas opções para então se aprofundar nas mais pertinentes ao contexto em que suas aulas estão inseridas (instituição, alunos, níveis de proficiência, etc.)

Se você é professor de inglês e está buscando por metodologias para ensinar inglês, está no lugar certo!

Aqui você vai conhecer vários métodos de ensino de inglês e descobrir algumas opções para depois aprofundar suas análises e estudos sobre as que lhe despertarem o interesse.

Boa leitura!

Neste artigo você vai conferir:

O que é um método de ensino de inglês?
1. Método indireto ou tradicional (gramática e tradução)
2. Método direto (capacidade de comunicação)
3. Método audiolingual (audiolingualismo)
4. Método comunicativo (sociocultural ou  sociointeracionista)
Abordagem natural (natural approach)
Abordagem comunicativa
Abordagem baseada em tarefas (Task-Based Learning)
Abordagem lexical
Abordagem comunicativa intercultural
5. Métodos alternativos
5.1 Silent Way
5.2 Suggestopedia (reservopedia)
5.3 Resposta Física Total (Total Physical Response - TRP)
5.4 Aprendizagem comunitária da língua (Community Language Learning - CLL)

O que é um método de ensino de inglês?

Antes de falarmos sobre os métodos de ensino de inglês mais conhecidos, é preciso compreender o que é um método.

Um método deve esclarecer os princípios teóricos, as ações práticas, o planejamento e a escolha do material didático.

Dessa forma, pode-se dizer que um método pode ser dividido em três partes:

  • a abordagem, isto é, a Teoria de Língua ou Teoria da Aprendizagem na qual se baseia;
  • o design, formado pela ementa das aulas (syllabus), os tipos de atividades, papel do aluno e professor, material didático e outros fatores; e, por fim,
  • os procedimentos que são as técnicas e comportamentos adotados, como avaliações de desempenho e intervenções do professor.

Agora que você já sabe o que é um método de ensino de inglês, confira alguns exemplos.

1. Método indireto ou tradicional (gramática e tradução)

O método tradicional de ensino de inglês ainda é muito utilizado por vários professores e instituições.

Ele é focado no ensino da gramática e tradução e por isso é tratado também como método indireto.

Neste método, a língua materna ou primeira língua (L1) serve de intermediária entre a segunda língua (L2) ou língua-alvo. Assim, os alunos aprendem a construção dos sentidos textuais na nova língua a partir da tradução da L2.

Ou seja, a L2 é trabalhada pelo professor com o aluno através da tradução de palavras de um texto, da memorização das regras gramaticais e do vocabulário aprendido. Essa metodologia de ensino de inglês possui ênfase na leitura (reading).

2. Método direto (capacidade de comunicação)

De outra ponta, o método direto propõe o desenvolvimento da capacidade de comunicação, enfatizando a habilidade de fala do aluno (speaking).

Durante as aulas, este método de ensino de inglês desincentiva o uso da língua materna e, para estabelecer a comunicação e a compreensão, prevê que o professor e alunos utilizem objetos e imagens para explicar os significados das palavras, que não devem ser traduzidas.

Assim, essa metodologia prioriza o contato direto do aluno com a nova língua e a exclusão da língua materna como ponto de apoio ou comparação.

3. Método audiolingual (audiolingualismo)

Este método objetiva tornar o aluno fluente na língua, privilegiando a comunicação oral. A escrita ocupa uma posição secundária.

Aulas com essa abordagem de ensino da língua inglesa colocam o professor como modelo a ser seguido, enquanto os estudantes participam passivamente, retendo e repetindo as sentenças apresentadas por meio de exercícios de transformação e substituição.

O que baseia este método é a crença de que a língua é um hábito que se adquire através da fala, em um processo mecânico de estímulo e resposta, onde as respostas certas são reforçadas e as erradas simplesmente ignoradas.

As regras neste método de ensino de inglês dão lugar aos exemplos e modelos corretos que deveriam ser seguidos. Aqui a aprendizagem acontece através da repetição e memorização.

4. Método comunicativo (sociocultural ou  sociointeracionista)

O método comunicativo, também conhecido como sociocultural ou sociointeracionista, tem o objetivo de desenvolver a competência linguística por meio da comunicação, pautada na troca de experiência entre os indivíduos.

Por esse motivo, seu foco é voltado para as situações reais do uso da língua inglesa.

Essa abordagem comunicativa é uma das metodologias de ensino de inglês mais atuais e defendida pelos PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) para o ensino de língua estrangeira.

Dentro do método comunicativo de ensino de inglês, vislumbram-se as seguintes abordagens:

Abordagem natural (natural approach)

Nesta abordagem de ensino da língua inglesa, o tempo da aula é primariamente dedicado a fornecer input (conjunto de informações lexicais e gramaticais que o aluno recebe) para a aquisição da língua.

O professor só fala em inglês na sala de aula e corrige apenas os erros dos alunos se eles atrapalharem seriamente a comunicação.

Na abordagem natural, a gramática não é objeto central e por isso normalmente é incluída nas atividades para casa, por exemplo.

Abordagem comunicativa

Na abordagem comunicativa de ensino de inglês, o professor busca desenvolver no aluno o entendimento funcional das estruturas gramaticais, para que ele possa se comunicar.

Por isso, nesta abordagem, o educador deve ter cuidado com a escolha das atividades para desenvolver no estudante fluência e não apenas competência gramatical.

Abordagem baseada em tarefas (Task-Based Learning)

A abordagem baseada em tarefas enfatiza o uso da língua como o principal elemento para a aprendizagem de línguas estrangeiras.

Nesta abordagem ativa do método comunicativo para o ensino de inglês, o professor designa uma tarefa para os alunos realizarem, usando os conhecimentos linguísticos e comunicativos que eles já possuem.

Assim o aluno desenvolve suas habilidades comunicativas, exercitando as competências linguísticas durante a realização das tarefas.

Abordagem lexical

Ainda dentro da seara do método comunicativo, encontra-se a abordagem lexical, relacionada ao conjunto de palavras existentes no idioma.

As concepções teóricas desta abordagem acerca da língua e da aprendizagem estão atreladas ao léxico e ao papel que ele desempenha na produção de sentidos na interação comunicativa.

Abordagem comunicativa intercultural

Outra abordagem do método comunicativo é a intercultural.

Nela, os componentes da competência comunicativa consistem em atitudes interculturais, conhecimentos que o indivíduo possui sobre os grupos sociais, habilidades de interpretação e de relação, habilidades de descoberta e de interação e consciência crítica cultural.

Essa abordagem para o ensino de inglês visa desenvolver indivíduos que sejam falantes interculturais ou mediadores capazes de se engajar com complexidades e identidades múltiplas, evitando os estereótipos.

5. Métodos alternativos

Por fim, trazemos também alguns exemplos de métodos de ensino de inglês alternativos que você pode utilizar nas suas aulas, de forma isolada ou combinando com as metodologias mais convencionais. A escolha é sua!

Métodos de ensino de inglês: professora com uma lâmpada acesa na cabeça.
Ter conhecimento teórico sobre o método utilizado para ensinar inglês é essencial!

Conheça agora 4 métodos alternativos para ensinar inglês.

5.1 Silent Way

O Silent Way foi criado pelo pesquisador egípcio Caleb Gattegno. Neste método o professor atua como um facilitador da aprendizagem.

As aulas são centradas no estudante e no silenciamento do professor. Propõe-se, nesta metodologia, a redução radical do tempo de fala do professor, a maior redução já prevista em um método.

5.2 Suggestopedia (reservopedia)

Esse método foi proposto pelo psiquiatra e pesquisador búlgaro Georgi Lozanov, o qual considera a dificuldade inerente de aprender uma língua estrangeira como uma barreira psicológica.

O nome da metodologia advém da combinação de duas palavras: suggestology (sugestologia) e pedagogy (pedagogia).

Seu objetivo é alcançar as reservas da mente. Por isso, o método reservopedia foca nos elementos psicológicos e emocionais dos estudantes, na organização do ambiente da aprendizagem e, principalmente, na autoridade do professor.

5.3 Resposta Física Total (Total Physical Response - TRP)

O TPR é o método proposto pelo psicólogo estadunidense James Asher e utiliza os movimentos corporais como mecanismos de aprendizagem de línguas.

Professores que adotam esta metodologia, repetem cada uma das sentenças fazendo mímica e usando objetos.

Depois, ele as repete e os alunos fazem mímica junto com ele; em seguida, o professor as repete com os alunos, gesticulando em grupo e individualmente.

Posteriormente, os alunos as repetem sem o professor, em grupo e também individualmente.

Com essa repetição de movimentos corporais, o aluno associa gestos à língua e internaliza significados.

5.4 Aprendizagem comunitária da língua (Community Language Learning - CLL)

Por fim, a última metodologia a ser apresentada neste artigo se trata da aprendizagem comunitária da língua.

Este método foi criado pelo psicólogo e padre jesuíta Charles Curran e defende a ideia que o estudante vá se tornando cada vez mais independente do professor à medida que avance nos estudos.

Por tanto, o professor encoraja os alunos a conversarem entre si, usando a língua estrangeira ou segunda língua (L2). Caso não saibam como transmitir uma mensagem, podem utilizar a primeira língua (L1).

A intenção aqui é evitar que os alunos se sintam ameaçados e ansiosos.

Como você viu, existem várias metodologias e abordagens para o ensino da língua inglesa. Cada uma pautada em teorias e princípios diferentes, mas todas voltadas à aprendizagem eficiente.

Agora cabe a você, como professor, escolher a que faz mais sentido para você e seus alunos para aprofundar seu entendimento sobre ela e aplicar nas suas aulas.

Neste artigo você conheceu diversos métodos de ensino de inglês e algumas abordagens.

Lembre-se: antes de escolher uma metodologia para aplicar com seus alunos, aprofunde seus estudos teóricos sobre as metodologias selecionadas para tomar consciência quanto ao lugar que você ocupa no processo de ensino-aprendizagem.

Ter conhecimentos teóricos é essencial para que a prática pedagógica seja realizada de maneira consciente.

Esse texto ajudou você? Então assine nossa newsletter para ser avisado sobre novos conteúdos sobre métodos de ensino de inglês!

Fique por dentro das novidades!

Assine nossa newsletter e receba novos conteúdos do Blog no seu e-mail.