Conheça os desafios da educação na Era Digital e descubra como superá-los

A revolução digital transformou todos os setores da sociedade e as formas de relacionamento entre seus indivíduos. Será que a educação acompanhou essa evolução? É o que você vai descobrir neste artigo!

Conheça os desafios da educação na Era Digital e descubra como superá-los

A evolução das tecnologias digitais, de informação e comunicação, provocou uma transformação na sociedade como nunca se viu na história da humanidade. A educação na Era Digital exige um novo olhar, postura e medidas que atendam às novas necessidades dos indivíduos e da sociedade.

Ignorar a urgente necessidade de mudança é condenar o processo educativo ao fracasso. Não apenas a educação deve se adequar a esta nova Era, como também deve preparar os indivíduos para ela.

Descubra como se deu essa rápida evolução tecnológica e entenda quais são os desafios da educação na Era Digital. Continue lendo!

Os primeiros acessos à internet
A evolução da comunicação digital
Uma geração de nativos digitais
Era digital e educação: entenda quais são os desafios

Os primeiros acessos à internet

O surgimento dos primeiros computadores domésticos, na década de 1980, e o acesso à internet através da rede discada, já causavam espanto e encantamento.

Foi uma revolução!

Quem vivenciou esse período, a chamada geração X, em um tempo não muito distante, deve lembrar a admiração diante da modernidade de acessar à internet, uma inovação que ocorreu por volta do ano 1995.

Fazer parte da rede mundial de computadores era como se tornar protagonista daqueles filmes futuristas que nos permitiram viajar na imaginação durante nossa infância e adolescência.

O processo exigia alguns componentes: devia se contar com um fax-modem, uma linha telefônica e também um provedor de acesso à rede.

Uma vez ligada toda essa parafernália, ouvia-se, com santa e respeitosa paciência, aquele barulhinho característico, que, apesar de irritante, era fácil de suportar, pois sabíamos que ele anunciava fortes emoções que estavam por vir.

Era tudo muito novo e surpreendente: poder participar de chats, as crianças acessarem jogos, pesquisar temas, e toda a série de descobertas que nos aguardavam e deslumbravam, uma atrás da outra.

Falando assim, até parece que faz muito tempo que isso tudo aconteceu. Mas não faz. A velocidade em que a tecnologia evoluiu, e continua a evoluir, é surpreendente.

Por isso, não se pode fechar os olhos para os impactos que tamanha e acelerada evolução causaram na educação.

O próprio papel do professor mudou nesta nova Era, deixando este de ser o único detentor das informações: os alunos podem acessá-las com um clique, na palma da mão.

Mais adiante apontarei alguns desafios da educação na Era Digital, mas antes, vamos relembrar como se deu a evolução da comunicação digital.

A evolução da comunicação digital

Quem nasceu entre os anos 1960 e o início dos anos 1980, presenciou também o surgimento dos celulares (enormes, por sinal!), das impressoras, estreou o uso de e-mails, acompanhou um verdadeiro boom na área tecnológica e da comunicação.

Por mais estrondoso que tenha nos parecido à época, apenas estava começando.

Não era possível imaginar, a verdadeira revolução que ocorreria na velocidade da informação, no desenvolvimento tecnológico e principalmente, na forma da educação que temos hoje na chamada Era Digital.

Pensando nisso, quem é capaz de prever, com certo grau de exatidão, quais serão os avanços na tecnologia e seu impacto nas relações sociais dentro de uns vinte anos?

O que pode mudar, com essa velocidade de descobertas, e que ainda deverá ganhar um curso exponencial?

Como será influenciada a humanidade neste mundo high tech?

O que podemos afirmar é que a comunicação em tempo real, com o uso dos dispositivos móveis, foi natural e organicamente internalizada e a capacidade de realizar tarefas diversas com rapidez, desenvolvida.

A nova geração participou do início das redes sociais, que estabeleceu novas relações e formas de comunicação. As facilidades da conectividade e dos serviços da Era Digital as acompanharam sempre, desde o nascimento.

Os impactos disso para a educação são avassaladores. É impossível teimar em manter a educação nos mesmos moldes que existem desde a Revolução Industrial.

Devido a esse fácil acesso à informação, é possível que hoje, em uma mesma turma, alunos possuam diferentes níveis de conhecimento. Essas diferenças não podem ser ignoradas pelos professores, que precisam encontrar um meio de ensinar a todos sem que ninguém se prejudique.

A educação deve contemplar o presente e o futuro e se adequar aos novos indivíduos, cada vez mais conectados e dispersos, frutos da Era Digital. Veja a seguir quem são esses indivíduos da nova geração.

Uma geração de nativos digitais

Os filhos da geração Y, a chamada geração Z, nativa digital, ou até mesmo conhecida por iGeneration, é composta por pessoas nascidas a partir do início da década de 2000, que têm a tecnologia em seu DNA.

São pessoas que nasceram cercadas pela tecnologia. Não conseguem imaginar um mundo desprovido de celulares, tablets, os mais diversos itens eletrônicos compõem seu espaço e as redes sociais são a forma mais natural de comunicação.

Habituadas ao crescimento na velocidade de transmissão das informações, bem como à rapidez com que ocorrem as mudanças e inovações tecnológicas, as pessoas desta geração estão sempre conectadas.

Nasceram em um mundo sem fronteiras geográficas, em que a globalização é um fato, e não apenas um conceito.

Os nativos digitais, que têm acesso a todo tipo de informação, a qualquer hora e lugar, encontram nas escolas uma realidade muito diferente da expectativa e alcance que sua própria conectividade permite.

Entenda agora quais são os desafios da educação na Era Digital e o que pode ser feito para superá-los.

Era digital e educação: entenda quais são os desafios

“O pior cego é aquele que não quer ver”, diz o famoso provérbio. Ao pensar na realidade de nosso atual sistema educacional, essa frase sintetiza muito bem a situação.

Professor, giz e quadro negro. O modelo tradicional idealizado em uma época absolutamente diferente da que vivemos, ainda está presente na maioria das salas de aula. (Ou pelo menos estava, até a chegada da pandemia).

Insistimos em manter a organização e dinâmica como concebida: crianças agrupadas por idades, disciplinas separadas, professor expondo o conhecimento.

Neste modelo, o aluno recebe passivamente informações que nem se comparam, em qualidade e quantidade, às que ele próprio pode ter acesso, onde e quando quiser.

Como fechar os olhos para essa realidade?

Os nativos digitais necessitam de um olhar diferenciado do setor educacional. Expostos desde sempre a uma infinidade de estímulos, não conseguem “se conectar” às aulas no modelo tradicional.

A padronização das turmas, a necessidade de memorização, o repasse de conteúdos fixos e limitados, entre tantas práticas que ainda perfazem a forma como as escolas se organizam, devem ser revistas e corrigidas para se adequarem a um modelo de educação na Era Digital.

O professor não pode mais ter a expectativa ou pretensão de ser o detentor do conhecimento.

Basta imaginar que a cada dois dias é criada uma quantidade de informação equivalente ao período que vai do início da história da humanidade até 2003, para entender que a estratégia da educação na Era Digital deve ser outra.

A necessidade de mudança do processo educacional é urgente e todo esforço e atenção deve ser dado sob o risco de presenciarmos um colapso do sistema como hoje está colocado.

Gestores, professores e pais precisam adotar um novo olhar e se tornar parte do processo, dentro dos novos papéis que surgem neste cenário de enxurrada tecnológica e de informação.

Para extrair da Era Digital o que ela nos oferece de melhor, no ambiente educacional, com suas profundas transformações nas relações sociais, dependemos de um conjunto de fatores que favoreçam as novas práticas.

Mas o principal é o despertar do professor para seu papel de orientador neste complexo e infinito acesso às informações, fomentando a capacidade de reflexão e análise seletiva dos conteúdos, o trabalho em equipe e a criatividade.

O grande desafio atual é estimular a geração Z para que aprenda, com o apoio do seu professor/tutor, a filtrar conteúdos, organizar e validar informações, extrair significado e encontrar soluções.

Para tanto, os professores podem começar a adequar suas metodologias para um aprendizado ativo, colocando o aluno como centro do processo de aquisição do conhecimento, e não mero espectador.

Somente com um modelo novo de educação na Era digital é que se atenderá, de fato, à nova geração.