Educação Digital nas escolas do Brasil: uma realidade distante da ideal

Apesar de sua importância, a Educação Digital tem sido negligenciada pelas escolas. Descubra como está o cenário brasileiro e por que é preciso transformar essa realidade!

Educação Digital nas escolas do Brasil: uma realidade distante da ideal

Educação digital não é apenas o ensino do manuseio correto de tablets, computadores e smartphones. Envolve inúmeras habilidades e conhecimentos, como saber diferenciar informações e opiniões na internet, entender sobre privacidade e utilizar redes sociais de maneira produtiva, por exemplo.

A tecnologia tem promovido diferentes tipos de aprendizado e todos eles se beneficiam da transformação digital.

No entanto, a rápida evolução dessa tecnologia não é acompanhada pela educação, o que limita seu proveito.

Ainda que a maioria das pessoas tenham acesso à internet, poucas sabem utilizá-la de forma produtiva e segura.

Por isso, é extremamente necessário que se dê a devida atenção à educação digital para garantir que os jovens não sejam adultos desinformados e confusos no futuro.

Neste artigo você vai entender qual a importância da educação digital na escola, como o Marco Civil da Internet regulamenta esse aspecto e como está a situação no Brasil. Esperamos que você aproveite a leitura!

Qual a importância da educação digital?
Educação Digital e o Marco Civil da Internet
Educação Digital nas escolas

Qual a importância da educação digital?

A incorporação da cultura digital em todos os âmbitos da sociedade, é um movimento contínuo. A tecnologia nos permite acessar qualquer informação, em tempo real, de qualquer lugar do mundo.

Essa expansão na comunicação e a velocidade em que ocorre, um caminho sem volta e que tende a crescer, abre um campo infinito de oportunidades, mas também de riscos.

97% da população mundial têm acesso a um sinal de celular e 93% ao alcance de uma rede 3G, ou superior. No Brasil, 82,7% dos domicílios nacionais possuem acesso à internet.

Ao analisarmos esses números, conclui-se que a escola deve se envolver ativamente na educação digital, uma vez que a internet está presente na vida da maioria dos alunos.

Apesar das indiscutíveis vantagens do acesso à internet, para o entretenimento, comunicação e informação, os nativos digitais estão expostos a uma série de riscos, que representam um grande desafio para pais e educadores.

A educação digital deve ser incorporada pela escola, e isto pode ocorrer de diversas maneiras.

Começando pelo ensino do pensamento crítico, fazendo com que os alunos entendam que nem toda fonte de informação é correta e segura.

Ensiná-los a confrontar diversas origens para avaliar se aquele conteúdo é confiável e correto.

Também, segurança e conscientização no uso da internet devem entrar para o debate e a prática, tanto a nível familiar, quanto no âmbito escolar.

Outro importante viés em que a educação digital deve atuar se refere aos riscos relacionados a crimes propriamente ditos.

Entre os principais crimes a que crianças e jovens estão mais expostos, observam-se os preconceitos, a invasão da privacidade, pornografia infantil, intolerância, cyberbulling, com episódios lamentavelmente muito frequentes.

Muitas crianças e adolescentes, que disponibilizam informações de maneira pública, sem preocupação com os riscos de tamanha exposição, precisam ser protegidos.

Grandes empresas trabalham no sentido de identificar e punir esses criminosos. Mas também é preciso instruir e orientar os jovens. Esse é um papel compartilhado por pais, responsáveis e professores.

Educação Digital e o Marco Civil da Internet

Para que a vida em sociedade fosse possível, as leis foram criadas. Com elas, comportamentos e ações dos indivíduos são controlados de acordo com os princípios da sociedade.

Considerando as transformações ocorridas na sociedade em função do avanço e alcance das tecnologias digitais de informação e comunicação, legisladores foram obrigados a tratar do tema.

Em 2007, surgiu a ideia do projeto que regulamentaria o uso da internet. Porém somente em abril de 2014 foi aprovada a Lei n.º 12.965, chamada de Marco Civil da internet.

Essa lei tem o objetivo de regular o uso da Internet no Brasil por meio da previsão de princípios, garantias, direitos e deveres para quem usa a rede, bem como da determinação de diretrizes para a atuação do Estado.

O texto trata de temas como neutralidade da rede, privacidade, retenção de dados, a função social que a rede precisa cumprir, especialmente no que tange à garantia da liberdade de expressão e à transmissão de conhecimento, além de impor obrigações de responsabilidade civil aos usuários e provedores.

No Artigo 26 da referida norma, é definida a obrigatoriedade de incluir na grade curricular a disciplina de Educação Digital:

“O cumprimento do dever constitucional do Estado na prestação da educação, em todos os níveis de ensino, inclui a capacitação, integrada a outras práticas educacionais, para o uso seguro, consciente e responsável da internet como ferramenta para o exercício da cidadania, a promoção da cultura e o desenvolvimento tecnológico”.

A educação digital na escola é um direito dos alunos e deve ser encarada como tal por toda a rede de ensino, pública ou privada, em todos os níveis de ensino e por todos os educadores.

Educação Digital nas escolas

Para saber qual é o impacto desta lei na rede escolar, pesquisas foram feitas e os resultados são surpreendentes. A educação digital no Brasil é praticamente inexistente!

Em 400 escolas paulistas, entre públicas e privadas, do ensino fundamental e médio, onde ocorreu a pesquisa, identificou-se que a imensa maioria desconhece o que é o Marco Civil da Internet.

A maioria das escolas também não estava familiarizada com a obrigatoriedade da inclusão da educação digital nas escolas, mesmo reconhecendo a relevância do tema.

Ainda que 70% das escolas permitam o contato virtual entre professores e alunos, somente nas escolas privadas estão definidas regras claras de conduta. No setor público isso existe em menos de 40% das escolas.

A maioria dos dirigentes, no setor privado (77%), e metade, no público, afirmam que estão preparados para resolver os conflitos dos alunos no ambiente virtual, como cyberbullyng (intimidar e hostilizar alguém usando o espaço virtual) e sexting (compartilhamento de mensagens de conteúdo sexual usando as tecnologias digitais).

No entanto, este tema está devidamente planejado em somente 64% das escolas. Existe a necessidade, ainda não cumprida, de formação de comitês multidisciplinares para a resolução desses casos com rapidez e eficiência.

A lei, publicada e aprovada em 2014, ainda não foi cumprida pela imensa maioria das instituições de ensino. Somente 4,75% das escolas privadas adotaram a disciplina de educação digital em suas grades curriculares e 1% na rede pública.

Há urgência em levantar o debate sobre educação digital na escola e provocar a mudança de atitude dos dirigentes para que ocorra o avanço necessário na direção do preparo dos alunos para agirem com mais segurança, ética e responsabilidade no mundo virtual.

Agora que você já sabe qual a importância da educação digital, continue lendo nossos artigos sobre a Educação 4.0!

Assine nossa Newsletter e receba conteúdos como esse em primeira mão, no seu e-mail: